CAPE WINELANDS: VINHOS MARAVILHOSOS EM UM PAÍS ESPETACULAR

O Charme Holandês e a Sofisticação Francesa Encontram o Calor Humano Sul-Africano

A apenas duas horas de carro da Cidade do Cabo, você descobrirá um mundo à parte de tudo o que a África do Sul apresenta: uma área rural de prósperas vinícolas chamada  Cape Winelands.  Com atributos suficientes para competir com os vinhedos da Califórnia, França, Itália, Alemanha e Áustria, Cape Winelands proporciona uma experiência inesquecível aos visitantes.

Apesar de haver um grande número de vinícolas nas regiões de Orange River Valley e Limpopo, os estudiosos de vinhos não tiram os olhos de Cape Winelands.  Cinqüenta vinícolas oficiais fazem dessa paisagem, marcada por montanhas e vales, um campo de uvas verdes.  No total, há mais de 100 vinhedos na região, incluindo as legendárias propriedades Spier e Mongenhof, em Stellenbosch, e Vergelegen, em Somerset West.

Embelezadas por carvalhos de troncos trançados e localizadas em meio a fazendas, pousadas e restaurantes, as cidades de Stellenbosch, Franschhoek e Paarl encantam todos os visitantes.  Os mais entusiasmados passam até duas semanas por lá para explorar todas as nuances da região.

Eles vêm atrás de vinhos favoritos como o Chenin Blanc (Steen), Chardonnay e Sauvignon Blanc, além dos especializados Muscatels ou Moscadels (também conhecidos pelos produtores como “Hanepoot”), Colombard, GewÜrtztraminer, Bukettraube e dois Rieslings (que não são relacionados): European Weisser Riesling e o local Cape Riesling.

Entre os vinhos tintos mais procurados, estão o Cabernet Sauvignon, Merlot, Gamay, Pinot Noir, Shiraz e Cinsault (também conhecido como Hermitage), além do Pinot Noir e a linha Hermitage, ambos feitos com a uva híbrida local (Pinotage) e considerados símbolo da indústria de vinhos sul-africana.

A maior vinícola produz pelo menos seis vinhos, incluindo branco, tinto, espumante e fortificado.  De acordo com Melissa Shales, correspondente da África do Sul para o guia de turismo norte-americano Fodor’s, as melhores propriedades são a Rustenberg, em Stellenbosch, que vem produzindo vinho por 300 anos, e a recentemente reformada Constantia, que produziu alguns dos mais antigos e excepcionais vinhos da região do Cabo e hoje produz um maravilhoso Sauvignon Blanc.

Shales também recomenda Meerlust, entre a Cidade do cabo e Steelenbosch, que há gerações faz parte da família Myburgh e é especializada em Pinot Noir e Rubicon com estilo Bordeaux; a Boschendal Estate, conhecida por seu Pinot Noir e Sauvignon Blanc; Backsberg, pelo Pinotage e Chardonnay; Villiera pelo Merlot; e a L’Ormarins, pelo Shiraz.  A maioria das vinícolas oferece degustação, sendo que algumas delas cobram uma pequena taxa.

A produção de vinho na África do Sul se transformou em um negócio internacional muito lucrativo.  O dramático aumento da exportação na década passada envolveu um grande investimento internacional, produção de novas vinícolas e novas marcas de vinho, novas plantações de tipos diversos de uvas nobres, e a adoção de novas tecnologias para a produção.  Hoje, a África do Sul está em sétimo lugar na produção mundial, tendo França, Itália, Espanha, EUA, Argentina e Portugal na sua frente.

As cidades na região de Cape Winelands atraem turistas por diversas razões.  Stellenbosch, fundada em 1685 pelo governador Simon van der Stel, sofreu com vários incêndios ao longo dos anos, mas os carvalhos que dão charme à cidade ainda estão de pé.  Conhecida como berço histórico da cultura dos Afrikaans (sul-africanos de origem holandesa), essa bela cidade universitária apresenta casas pitorescas nos estilos vitoriano, holandês, Cape Georgian e  Regency.  Para realmente aproveitarem a cidade, os turistas devem fazer um passeio a pé pelas ruas.

Paradas imperdíveis em Stellenbosch incluem o Rhenish Complex e Oom Samie se Winkel.  O Rhenish Complex, um adorável grupo de prédios históricos ladeados por dois modernos centros educacionais - o Rhenish Primary School e o Rhenish Institute - representa vários estilos arquitetônicos da Steelenbosch dos últimos séculos.

Oom Samie se Winkel, que significa “Loja do Tio Samie”, é uma charmosa loja com estilo vitoriano que vem funcionando desde 1904.  Mais do que uma instituição local, é um símbolo nacional, oferecendo mercadorias como conservas, artigos de vime, velas e utensílios de cozinha do século 19.

O Spier Estate, outra pérola de Stellenbosch, é uma das vinículas mais famosas de Wimelands.  Seu complexo de prédios, reformado em 1993, oferece atrações variadas, incluindo sua própria estação de trem, facilitando a viagem à Cidade do Cabo.

Além dos passeios pelas vinícolas, turistas poderão escolher entre restaurantes encantadores. O primeiro, Jonkershuis, serve pratos da maravilhosa cozinha indonésia e malaia.  No estábulo da fazenda Spier, deliciosas iguarias são perfeitas para um piquenique perto do lago.  A propriedade também possui uma fazenda experimental, e planos futuros incluem o aumento da atual vinícola com a adição de variedades de uvas vermelhas - merlot, cabernet, shiraz e pinotage.  Concertos ao ar livre no anfiteatro de 1.075 lugares trazem artistas de ópera, jazz, música clássica e até mesmo comediantes.

Outra fazenda de destaque em Stellenbosch é a Morgenhof, fundada em 1692 e atualmente, sob o domínio de Huchon-Cointreau, produtora de 300 mil garrafas por ano.  Os prédios, construídos em volta de lindos jardins franceses, foram reformados para reviver o seu charme.  Quando os visitantes passam pela sala de degustação, podem olhar através das janelas que vão do teto ao chão e ver os barris de envelhecimento para vinhos brancos.  A Morganhof é conhecida por sua magnífica adega de vinho tinto, principalmente pinotage, merlot e cabernet sauvignon.  Almoçar aqui é uma atividade adorável: no verão, o almoço é servido no jardim; no inverno, perto da lareira no terraço.

Na época que as primeiras plantações de uva estavam sendo cultivadas em Stellenbosch, famílias francesas Huguenot que deixaram seu país natal fundaram fazendas nas montanhas Groot Drakenstein, graças à verba doada pela Companhia das Índias holandesa.  Essa colônia, chamada de “French Corner”, ficou conhecida pelo nome holandês de Franschhoek.  Hoje, as montanhas que cercam o vale fazem desta área de Winelands o mais bonito e imperdível passeio para aqueles que só tem um dia para vir aqui.

Uma tour culinária também é uma ótima opção para os visitantes que vêm a Winelands.  Almoçar em um restaurante como o La Petite Femme exige reserva adiantada não apenas por sua excelente comida, mas também pela memorável vista do local.  O Cabrière Estate merece uma visita por sua adega, e os pontos turísticos Hughenot Monument e Hughenot Memorial Museum acentuam a influência francesa na cidade.

A vinícola Vergelegen, em Somserset West, ao sul de Stellenbosch, é outro destaque da visita a Winelands.  Os vinhedos e cinco árvores antigas de cânfora que dominam o maravilhoso jardim em frente à casa principal foram plantados 300 atrás.  A bela e reformada fazenda, que já recebeu personalidades como a Rainha Elizabeth II e Bill Clinton e sua família, também é a favorita de Nelson Mandela.  A Vegelegen é elegante e dá a sensação de ter parado no tempo.  No centro de degustação de vinho, a fazenda e os adoráveis jardins são como uma viagem no tempo.  Um almoço leve no Lady Phillips Tea Garden, também restaurado, não deve ser esquecido.

A leste de Stellenbosch está a Boschendal Manor House, uma fazenda Hughenot que vale a pena ser visitada.  A propriedade vem recebendo adições desde 1685, sendo que a adega de vinho foi adicionada em 1796.  Em 1812, a Boschendal Manor House foi construída em sua forma atual, como um “H”.  Os designs decorativos em ébano, a cozinha original com piso de barro e a sala de jantar com uma coleção rara de porcelana Ming Dynasty são alguns dos destaques da Manor.

Também nas redondezas, a cidade de Paarl possui duas vinícolas.  Esse destino popular recebeu seu nome devido às enormes rochas de granito chamadas de Paarl Rocks, que têm 500 milhões de anos de idade e, dizem as lendas, brilham como pérolas quando estão molhadas de chuva.

A rota do vinho em Paarl foi criada em 1984.  Além de oferecer disputadas degustações, os restaurantes locais são conhecidos pelos pratos deliciosos que fazem questão de servir. A Main Street  tem 11 quilômetros e abriga algumas das melhores casas históricas da cidade.

Winelands oferece diversão variada, como a Boesmanskloof Traverse, uma trilha para cinco horas de caminhada entre as vilas rústicas de Greyton e McGregor, e o Kleinplasie Open-Air Museum, um museu-fazenda perto de Worcester, que mostra o estilo de vida dos primeiros fazendeiros da região do Cabo.

Independentemente das cidades e das vinícolas visitadas, Winelands não desapontará.  Um conselho: não tente cobrir toda a área em apenas um dia, e visite, no máximo, quatro vinícolas por dia.  Faça planos de almoço e garanta sua reserva com antecedência.  As charmosas pousadas e hotéis do campo também exigem reserva com antecedência.